Páginas

Livros perfeitos

Bom, hoje vim mostrar alguns Livros que já li.
Pra começar eu vou contar como comecei a gostar de ''livros'' e que escritora me fez a apaixonar por isso.

Aprendendo a Gostar de Ler

A Leitura não deveria ser algo mecânico, por obrigação, mas um ato prazeroso. Não é fácil aprender a gostar de ler, mas vamos ver algumas dicas de como tornar a leitura uma diversão.
Quem aprendeu a gostar de ler é porque adquiriu esse hábito desde pequeno, ouvindo a sua avó, mãe ou alguém da família ler histórias infantis. Quem não foi criado com esse costume dificilmente se encantará ao entrar em uma biblioteca ou livraria, porém, nunca é tarde para começar a gostar da leitura. E atualmente muitos já perceberam que ler é essencial para conseguir alcançar os seus objetivos.
Se você não é uma pessoa apaixonada pela Leitura anote algumas dicas para, pelo menos, se entusiasmar a ler.
  • Primeiramente é importante entender que, saber ler não significa que você está compreendendo tudo o que está lendo, saiba que a maioria dos brasileiros, em média 38%, tem essa dificuldade de interpretação, mas podemos vencer isso com o esforço.
  • Procurar ler livros dentro da sua faixa etária, de acordo com a sua idade, normalmente os livros trazem essa indicação. Machado de Assis com certeza não vai te ajudar, pela época que estamos vivendo, mesmo sendo uma grande obra literária brasileira. Para ter prazer em ler temos que gostar do que lemos, pode ser até um Gibi.
  • Para ter esse hábito, reserve um tempo para isso diariamente, mas seja rigoroso com você mesmo, nada de deixar para o outro dia. Fazendo uma leitura diária se tornará algo corriqueiro e com o tempo ler todos os dias será inevitável.
  • Procure um local tranquilo, confortável e bem iluminado. Se você ler em condições impróprias, você poderá associar ao desconforto e o prazer da leitura vai embora.
  • Nunca leia vários livros de uma vez, curta o que você está lendo, entregue aos pensamentos, faça da leitura uma “viagem”.
  • Mantenha um dicionário por perto, para consultas de palavras que você não conheça e assim fará com que o seu vocabulário aumente e te ajudará nas redações e dissertações.
Saiba: Quem escreve bem, é quem lê muito, e quem escreve melhor é quem lê e escreve muito. Assim, como um esporte a leitura e escrita devem ser exercitadas, quanto antes você começar a fazer isso você conseguirá alcançar os seus objetivos, lembrando que para o vestibular, a redação é algo que leva muito em consideração para a sua aprovação.
Espero que tenham gostado do que aprenderam…


  

                          
                    Primeiro livro

Pra começar odiava ler, eu não sentia prazer! No 2° ano do Ensino Médio o meu professor de Língua Português foi o Alan (ótimo professor) ele sempre mandava os alunos pegar um livro na biblioteca para lermos e apresentar, pra falar a verdade eu odiava (rs) até um dia encontrar os livros da Paula Pimenta (Fazendo meu filme), quando vi na prateleira, peguei e me apaixonei até pela capa,  então resolvi ler aquele! Fazendo meu filme é uma coleção com quatro volumes (li todos) A Paula Pimenta que me fez apaixonar por livros, só tenho a agradecer, ler é maravilhoso, é tudo de bom!!!


Tenho um super carinho por esses livros, acho fofo demais! E a partir dele que me tornei fã da Paula. Recomendo muito. Vou falar aqui um pouco sobre o volume 1
O livro nos conta a história de Fani, uma garota que (como todas nós garotas já tivemos) possui uma paixão platônica por seu professor de biologia. É viciada em filmes, músicas, e tem os melhores amigos que alguém podia ter! Até que então se pega em várias situações (algumas embaraçosas, algumas interessantes) e vê que sua vida pode tomar um novo rumo quando sua mãe aparece com uma proposta de fazer intercâmbio para a Europa.Com muitas expectativas a respeito da viagem, Fani deixa de notar algumas coisas que sempre  estiveram na sua cara e no decorrer da história, tem que tomar algumas decisões importantes para a sua vida!
O livro é voltado ao intercâmbio de Fani, mas sua família e amigos tem grande importância no livro também.
Mas não pense que terminando esse volume te livrará de toda a curiosidade de saber o que acontece pela frente: o livro termina com um GRANDE gancho para o segundo, e eu, devo admitir, tive que ir correndo comprar o 2º volume da série.

                          Segundo livro

O segundo livro foi do Nicholas Nparks, ''Um amor para recordar'', outro livro que recomendo (chorei muito)

Um amor para recordar, de Nicholas Sparks, é narrado em primeira pessoa e conta, após quarenta anos, a história da paixão vivida por Landon (narrador) e Jamie.
Landon é um jovem de família rica que mora em Beaufort, Carolina do Norte; está no ultimo ano do ensino médio e pensa somente em aproveitar sua liberdade e juventude antes de se formar e tentar entrar na faculdade. Jamie, uma garota nada convencional, é filha do pastor da cidade, auxilia no orfanato local, salva animais machucados e carrega sempre uma bíblia consigo. Os dois, apesar de se conhecerem desde a infância, nunca chegaram a trocar mais do que algumas palavras; porém, o baile da escola e a peça de teatro da cidade, criada pelo pai de Jamie, acabam fazendo com que eles se aproximem. Apesar do medo que Landon tem de ser visto por seus amigos com Jamie, que é considerada estranha por todos na escola, uma amizade cresce aos poucos e ele logo se vê apaixonado por ela.
A paixão é correspondida, porém o romance é fortemente abalado pela descoberta da doença fatal de Jamie, que faz com que o sentimento se torne cada vez mais intenso, à medida que o fim se aproxima.
O romance, no começo jovial e inocente, transforma-se em uma belíssima história de amor, que apresenta lições sobre a vida e amor ao próximo.Um-Amor-Para-Recordar
Opinião pessoal
 Quando comecei a ler Um amor para recordar, tive a impressão de que o livro seria bem parecido com Querido John, pois, além de serem do mesmo escritor, os dois têm algumas características semelhantes. Isso me deixou um pouco desanimada, até porque não gostei muito do livro Querido John, e acabei criando um certo conceito em relação a Nicholas Sparks quando o li.
Porém, meu conceito foi totalmente modificado conforme fui lendo Um amor para recordar. O livro, além de pequeno, é escrito em uma linguagem bastante simples e direta; já dá para imaginar que o li em pouquíssimo tempo. Ele é bastante jovial e engraçado em determinados momentos, porém isso não o torna bobinho nem nada do tipo. A história de amor que ele traz é bem tocante e suas personagens têm características bastante profundas.
Livros muito românticos não são os meus favoritos, mas confesso que esse me emocionou a ponto de quase me fazer chorar em alguns momentos. Não somente pelo amor entre Landon e Jamie, mas o orfanato, a peça de teatro, as famílias, amigos, e a mensagem sobre perdão e amor ao próximo que a história traz o tornam muito bonito e especial, e o recomendo a todas as pessoas, que gostem de romance ou não.
Então gente, por hoje só!
Até a semana que vem beijos.






Como funcionam os aparelhos ortodônticos?


Para endireitar os dentes não tem muito jeito, aparelho fixo neles. Apesar de a tecnologia trazer opções mais discretas e quase invisíveis, os modelos tradicionais ainda são mais acessíveis e procurados pela maioria das pessoas. Mas como será que os braquetes e fios funcionam? O cirurgião-dentista George Bueno, especialista em ortodontia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro explica o funcionamento dos aparelhos ortodônticos e a reação do organismo para que tudo fique no seu devido lugar.
O tratamento ortodôntico pode ser realizado em praticamente qualquer idade e para isso são usados aparelhos fixos ou removíveis, dependendo da indicação para cada caso. Os fixos são mais eficientes e indicados para corrigir problemas dentários mais complexos, pois funcionam 24 horas por dia, além de depender menos da colaboração do paciente. Já os móveis são usados para tratamentos em pacientes em fase de crescimento ou para tratamentos simples em jovens e adultos. “Possui a vantagem de poder ser removido para atividades sociais, para alimentação e para higiene bucal”, diz Bueno. 
Por que dói?
Em ambos os casos, os aparelhos utilizam a força mecânica para promover a movimentação dentária. “Utilizamos fios metálicos para que esta pressão seja feita”, explica. Todos os tecidos relacionados com os dentes do paciente participam e estão relacionados biologicamente com a movimentação provocada pelo aparelho. 
É inclusive essa movimentação que causa a dor incômoda que a maioria dos pacientes sente alguns dias após apertar o aparelho. “O processo biológico durante a movimentação dentária produz certos mediadores inflamatórios responsáveis por esta sensação dolorosa”, afirma o especialista. 
Benefícios
E apesar dos incômodos de um tratamento ortodôntico, os benefícios sempre são maiores. Isso porque dentes mal posicionados podem facilitar o aparecimento de cáries, doenças gengivais, perda de osso ao redor dos dentes, alterações da fala e problemas funcionais. “Dentes protruídos (dentes para frente) são mais sujeitos a traumas e fraturas, além de os dentes desalinhados poderem prejudicar a autoestima do indivíduo”, destaca Bueno.
Quando acaba?
Assim como a pele se modifica através dos anos, normalmente aparecendo algumas rugas com o avançar da idade, podem também, consequentemente, ocorrer alterações nas posições dentárias. Por isso, após a correção dos dentes mal posicionados, é necessária a contenção da posição dos dentes por um determinado tempo. Isto é feito também para que os tecidos ósseo e gengival se adaptem às mudanças na posição dos dentes. 
A contenção pode ser feita com aparelhos removíveis ou fixos (os fixos são colados na face dos dentes que fica em contato com a língua). “Nos casos onde são indicados aparelhos removíveis para contenção do tratamento ortodôntico é fundamental a colaboração do paciente para a estabilidade do resultado alcançado”, diz. 
Tudo pode influenciar
A posição da língua, dormir de boca aberta ou com o braço embaixo do travesseiro também pode influenciar na posição dos dentes. Por isso, uma consulta, geralmente aos 5 ou 6 anos de idade, permite ao ortodontista diagnosticar e planejar qual a melhor época para a intervenção nos pacientes que precisarem de tratamento, bem como para encaminhar o pacientes para outros profissionais fundamentais no tratamento de desordens associadas com o aparecimento de maloclusões como o fonoaudiólogo, o otorrinolaringologista, entre outros. “A maioria das maloclusões (problemas de má posição dentária) é mais facilmente tratada durante a fase de crescimento da criança”, afirma George Bueno.                                                                                                                                 

Esse é o meu primeiro ''post'', porém muito inspirada já tem muito tempo que não escrevo em blog. 
Para começar vou fazer uma postagem sobre ''tatuagem''.


Cada tatuagem mais linda que a outra, mas se fosse para eu escolher o modelo de umas dessas eu queria a da imagem do fundo! (PERFEITA)
Hoje em dia a tatuagem é cada vez mais difundida entre as mulheres, que gastam a criatividade em uma diversidade de desenhos e cores para registrar emoções e sentimentos na pele. Dentre a grande diversidade, as idéias mais procuradas são de flores, anjos, borboletas, estrelas e corações.


Essas imagens pode servir de inspiração para alguma garota que queira ou vai ''fazer''.
Espero que ''sim''. rs
São todas lindas, sem muito exagero e FOFAS!

                 

                  Onde mais dói fazer tatuagem?

Conheça as áreas do corpo mais e menos sensíveis à dor e leia dicas para seguir antes de se submeter às agulhas.

Uma das perguntas mais frequentes que recebemos é: onde dói mais para fazer uma tatuagem?
O infográfico abaixo apresenta bem a relação da dor com os lugares do corpo onde estamos fazendo uma tattoo.
Mas também vale sempre lembrar que a dor é relativa, variando de pessoa para pessoa. Algumas pessoas podem dizer que dói mais fazer tatuagem no cotovelo e costelas, enquanto outras poderão falar que não sentem dor ao fazer uma tatuagem. A sensibilidade normalmente é maior onde as partes do corpo tem a pele mais fina, tendo maior contato com os ossos, como cotovelo, costelas, pé e áreas internas dos braços e pernas.
Falar que tatuagem não dói seria exagero, pois sempre haverá uma dor, afinal você está tendo agulhas penetrando no seu corpo, como podem ver em nosso artigo sobre Como se Faz uma Tatuagem. A dor normalmente é suportável, porém algumas pessoas ainda podem sentir mais (muitas vezes influenciados por medo), pedindo para que o tatuador pare algumas vezes durante as sessões ou até mesmo passe xilocaína sobre a área.
Enfim, para quem nunca fez uma tatuagem, recomendamos que comece com uma tatuagem pequena, para depois não deixar incompleta caso não aguente. E para quem já tem, fica a pergunta, onde sentiram mais dor e como foi a sensação?